sexta-feira, dezembro 03, 2010

Carta de um trabalhador do Canil Municipal de Madrid

http://www.liveloveandcare.org/blog/2010/09/carta-de-um-trabalhador-do-canil-municipal-de-madrid/


Um lugar onde as almas dos animais são destruídas. Um lugar onde a esperança não existe. Um lugar stressante também para quem trabalha ali e são os responsáveis por fazer a “limpeza” da cidade, acabando com a vida dos cães abandonados. Um trabalhador espanhol deu seu testemunho sobre como é o dia a dia em um canil municipal em Madrid, na Espanha. Para lá, além dos animais de rua recolhidos pelos serviços municipais, as pessoas levam diariamente os seus animais de companhia quando já não os querem mais.

“Acredito que é preciso chamar a atenção da nossa sociedade. Como responsável de uma Perrera [canil municipal], vou partilhar uma coisa com vocês, um olhar ‘de dentro’ se me permitem.

Em primeiro lugar, todos os vendedores/criadores de animais deveriam trabalhar pelo menos um dia num canil destes. Talvez se pudessem ver o olhar triste, perdido, confuso dos animais, mudariam de opinião sobre criar e depois vender a pessoas que nem sequer conhecem. Esse cachorrinho que acaba de vender terminará, possivelmente, no meu canil quando deixar de ser um cachorrinho fofo. Então, como se sentiria se soubesse que há uma probabilidade de 90% de que este cão nunca saia do canil quando vai parar ali? Seja de raça ou não. Pois 50% dos cães que entram no meu centro, abandonados ou de rua, são de raça pura.



Canil Municipal de Madrid. Foto: El Mundo, Espanha/ Antonio Heredia



As desculpas mais comuns que oiço são:

- “Mudamo-nos e não podemos levar o nosso cão/gato”. Verdade? Para onde se vai mudar, onde não permitem animais de estimação? E porque escolheu viver num lugar assim em vez de outro onde seja permitido?

- “O cachorrinho cresceu mais do que esperávamos”. E que tamanho acha que tem um Pastor Alemão?

- “Não tenho tempo para ela”. Verdade? Eu trabalho de 10 a 12 horas por dia e ainda assim tenho tempo para os meus 6 cães.

- “Estraga o jardim todo”. E por que não o deixa ficar dentro de casa?

- Dizem sempre: “Não queremos insistir para que procure um lugar para ele, porque sabemos que será adoptado certamente, é um bom cão”.

O triste é que o seu animal de companhia NÃO será adoptado! E consegue imaginar o quão stressante é um canil municipal?

Bom, deixa que eu conto:

O seu animal tem 72 dias para encontrar uma nova família a partir do momento que você o deixa aqui. Às vezes um pouco mais, se o canil não estiver cheio e se ele conseguir não adoecer. Se pegar um resfriado, morre.

Os gatos nunca se livram de uma morte certa.



Gata abandonada na Perrera Municipal de Madrid. Foto: Horror Canto Blanco



O seu animal permanecerá confinado em uma box pequena, rodeada por barulhos, choros, latidos e uivos de outros 25 animais.

Ficará deprimido e chorará constantemente pela família que o abandonou. Se tiver sorte, um bom voluntário talvez pode levá-lo para passear ocasionalmente. Se não, o seu animal não receberá nenhuma atenção, além de um prato de comida deslizado por debaixo da porta da boxe, jactos de água de mangueira, da limpeza da gaiola.

Se o seu cão é negro, grande ou alguma raça “bull”, como Pitbull, Mastin etc.. você deu-lhe o seu atestado de morte a partir do momento que cruzou a porta do canil. Esses cães não são adoptados. Não importa o quão “doce” seja ou “ensinado” esteja.

Se o seu animal não for adoptado em 72 horas desde sua entrada e o canil estiver cheio, será sacrificado.

Se o canil não estiver cheio e o seu cão estiver suficientemente saudável e de uma raça atractiva, é possível que se “atrase” a sua execução, ainda que não por muito tempo.

Os cães, em sua maioria , são postos em boxes de protecção e imediatamente sacrificados se demonstram qualquer tipo de agressão. Inclusive o cão mais tranquilo é capaz de mudar de comportamento neste ambiente.

Se o seu cão se contagiar com a tosse canina (traquebronquite infecciosa canina) ou qualquer outra infecção respiratória, será sacrificado imediatamente, apenas porque nos canis não temos recursos para pagar os tratamentos necessários.

Sobre a eutanásia, para aqueles que nunca foram testemunhas de como um animal perfeitamente saudável será sacrificado:

- Em primeiro lugar, tiram-no da box com uma guia. Os cães sempre pensam que vão passear, saem felizes, abanam o rabo..

- Até que chegam “ao quarto”, ali todos os cães param de repente. Devem sentir o cheiro ou captar a morte ou sentir as almas tristes que ficaram por ali. É estranho, mas acontece com todos e cada um deles.

- O seu cão ou gato será examinado por um veterinário ou dois, dependendo do tamanho e do quão nervoso estiver. Depois, um especialista em administrar a eutanásia ou um veterinário inicia o processo: encontra uma veia na sua pata dianteira e injecta uma dose de uma “substância rosa”.

- Esperamos que o seu animal não se assuste ao sentir o que está para acontecer. Já vi alguns que arrancaram a agulha e acabaram cobertos do seu próprio sangue, ensurdecidos pelos seus próprios latidos e gritos.

- Nenhum “dorme” imediatamente. Muitas vezes, sofrem espasmos durante um tempo, sufocam-se e defecam.

- Quando terminar, o cadáver do seu animal será empilhado como uma lenha em um grande congelador traseiro, com todos os outros animais à espera de serem recolhidos como lixo.



Perrera de Madrid: Mais de 6 toneladas de cães e gatos sacrificados em um ano e meio. Foto: Perreras de España

- O que acontece depois? Será cremado? Levam-no para o depósito do lixo? Servirá de comida para cachorros? Isso nunca vai saber e nunca poderá imaginar. Era só um animal e sempre se pode comprar outro, não?

Acho que, se leu até aqui, poderá imaginar e não será capaz de tirar da cabeça as imagens que eu vejo todos os dias quando volto para casa do trabalho.

Odeio o meu trabalho, odeio que exista e odeio saber que sempre vai existir, a menos que vocês, as pessoas, mudem de atitude e se dêem conta das muitas vidas que são prejudicadas, além das que são deixadas no canil.

Entre 9 e 11 milhões de animais morrem todos os dias nos canis e somente você pode acabar com isso. Eu faço todo o possível para salvar todas as vidas que posso mas os refúgios protectores estão sempre cheios e todos os dias há mais animais que entram do que saem.

Não crie ou compre cães enquanto há milhões a morrer nos canis.

Odeie-me se quiser. A verdade dói e a realidade é essa. Só espero que, com isso, alguém possa ter mudado de ideia sobre criar ou comprar um cão e de abandonar o seu animal num canil.

Desejo que um dia, alguém entre no meu trabalho e diga: ‘eu li isto e quero adoptar’. Isso sim valeria a pena!”

Jazz M. Onster, responsável pela Perrera de Madrid

Fonte: Anda

2 comentários:

Blábláblá na rede disse...

Nossa tô até arrepiada com esse seu post...sou completamente louca pelos "anjos de 4 patas", é assim que chamo os, detesto esse nome, CACHORROS, a mim dá uma impressão ruim falar assim, prefiro "anjos"...ou meninos, como chamo os meus aqui de casa...heehe...bom, esse post ficou incrível e se me permite gostaria de criar um link em meu blog com o seu post...É PRECISO CONSCIENTIZAR AS PESSOAS SOBRE ADOTAR UM ANIMAL...é lógico que todos tem o direito a ter um animal de "raça" se quiserem, mais ajudem adotando, pq os SRD são os mais fiéis, carinhosos e amigos!

Blábláblá na rede disse...

Depois dá uma olhada nesse link meu http://blablablanarede.blogspot.com/2010/10/cadela-de-2-patas-exemplo-de-vida-e.html e nesse http://blablablanarede.blogspot.com/2010/11/os-vira-latas-sao-lindosfeio-e-o-seu.html
SEI QUE VAI GOSTAR...TAMBÉM GOSTARIA DE TROCAR BANNER COM VC, SE QUISER AQUI MEU EMAIL
KAO.OLIVEIRA@HOTMAIL.COM

ABRAÇOS...KHELEN